IFPR discute metodologia de implantação de Observatório Regional no IFRO – Instituto Federal do Paraná

Notícias

IFPR discute metodologia de implantação de Observatório Regional no IFRO

Publicado em

Copiado!

Uma troca de experiências está acontecendo entre o IFPR e o Instituto Federal de Rondônia (IFRO). O servidor Gilmar Hellmann está em Porto Velho, nos dias 25 e 26 de abril, ajudando na metodologia de implantação de um Observatório Regional no IFRO, seguindo o modelo do paranaense. Gilmar é coordenador do Observatório Regional do IFPR, situado na Diretoria de Informações Institucionais da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Proplan).

A instituição de Rondônia organizou um Grupo de Trabalho (GT) com o objetivo de elaborar tanto a proposta de implantação do Observatório quanto o projeto-piloto para o Campus Guajará-Mirim, unidade com funcionamento recente e de características peculiares por se localizar na faixa de fronteira Brasil-Bolívia. Dessa forma, o IFPR poderá contribuir também nesse sentido, por possuir, por exemplo, a unidade de Barracão, igualmente recente e em região de fronteira. De acordo com Gilmar, “a Rede Federal de Educação Tecnológica possui e necessita enfatizar a permuta de conhecimentos de gestão entre os Institutos Federais do Brasil, ou seja, há uma reciprocidade de aprendizado”.

O Observatório Regional do IFPR utiliza indicadores socioeconômicos, análise do discurso, técnicas de swot (ferramenta usada para fazer a análise do ambiente interno e externo) e outras estratégias para o desenvolvimento de seus projetos. Os estudos, que contemplam todas as macrorregiões do Paraná, têm como objetivo coletar, sistematizar e compreender indicadores que possibilitem a análise socioeconômica no contexto das unidades do Instituto, auxiliando os gestores na otimização de recursos públicos que contribuam para o desenvolvimento sustentável local e regional. Recentemente, a equipe divulgou seu mais novo estudo: “Influências das mudanças populacionais em cursos de Nível Médio”. Confira mais na matéria.

Topo