Proepi indica servidor para estágio de três meses no Canadá – Instituto Federal do Paraná

Notícias

Proepi indica servidor para estágio de três meses no Canadá

Publicado em

Copiado!

Na tarde desta quarta-feira (27), a Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação informou à Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC/MEC) o nome da servidora selecionada para a vaga de estágio na área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), a ser realizado entre os meses de janeiro e abril no Canadá. O estágio é oportunizado pela SETEC, que disponibilizou uma vaga para cada instituição da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (EPT). A servidora selecionada foi a professora Elisângela Valevein Rodrigues, do curso Técnico em Massoterapia do Câmpus Curitiba.

O estágio tem início no dia 14 de janeiro de 2014 e será realizado no setor de pesquisa aplicada dos Colleges canadenses, instituições de ensino similares aos Institutos Federais. As instituições que recebem os estagiários brasileiros são vinculadas à Association of Canadian Community Colleges (ACCC). O objetivo do intercâmbio é permitir que os participantes adquiram conhecimentos e competências na gestão e organização das ações de pesquisa aplicada articulada com o setor produtivo.

Como se deu a escolha no IFPR

Por meio do Ofício Circular nº 145/2013/DDR/SETEC/MEC, a SETEC/MEC anunciou às instituições da Rede Federal de EPT a realização do intercâmbio de servidores. O documento também trazia requisitos mínimos para a seleção de candidatos:

a) Fluência na Língua Inglesa ou Francesa;
b) Experiência em coordenação de projetos de PD&I nas áreas tecnológicas, preferencialmente com empresas, e destacada liderança na área;

Na tarde de segunda-feira (25), todos os servidores do IFPR receberam em seus e-mails informações sobre a oportunidade de estágio no Canadá oferecida pela SETEC e orientações da Proepi sobre como participar da seleção. Além dos critérios estabelecidos pela SETEC, o IFPR também utilizou critérios de avaliação do envolvimento do interessado em atividades de pesquisa e inovação. Nove servidores dos Câmpus Curitiba, Jacarezinho, Londrina, Palmas, Paranaguá e da Reitoria se candidataram até às 16h, horário limite estipulado pela Proepi para envio do e-mail manifestando o interesse em participar da seleção. “A equipe da Proepi debruçou-se sobre o currículo lattes de cada um deles e selecionou os três melhores, considerando a maior participação em projetos de inovação”, explica o pró-reitor de Extensão, Pesquisa e Inovação, professor Ferederico Fonseca da Silva.

Após a avaliação dos currículos e o contato com a primeira colocada, professora Michele Patrícia Muller Mansur Vieira, do Câmpus Curitiba, que desistiu da candidatura por motivos pessoais, foi selecionada a segunda, a professora Elisângela Valevein Rodrigues.

Elisângela é formada em Fisioterapia e cursa o doutorado na Universidade Federal do Paraná. Atualmente, Elisângela é coordenadora do grupo de pesquisa Saúde e Qualidade de Vida, cadastrado na Plataforma Lattes. Coordena, também, o projeto de pesquisa, extensão e inovação “Efeito do treinamento físico com jogos virtuais na capacidade musculoesquelética de idosas institucionalizadas: ensaio clínico randomizado”, desenvolvido em parceria entre o IFPR e UFPR. Sobre a indicação, ela comenta:

Estou muito feliz com a indicação. É a realização do que sempre almejei e a concretização de todo meu trabalho na pesquisa. Só tenho a agradecer à PROEPI, direção de ensino do Câmpus Curitiba, Direção Geral, ao COPE e ao colegiado do Curso Técnico em Massoterapia por todo incentivo e financiamento para pesquisa, extensão e inovação que tenho recebido. Acredito que este auxílio impulsionou essa conquista. Fiquei muito contente com a transparência e imparcialidade da escolha.

Esta oportunidade contribuirá grandemente com meu desenvolvimento pessoal, profissional e acadêmico devido ao contato com nova realidade e ao conhecimento de uma cultura diferente. O Canadá é um dos países que tem investido grandemente na pesquisa, o que contribuirá no desenvolvimento dos meus estudos aqui no Brasil e ainda poderei contribuir com nossa comunidade acadêmica no IFPR”.

Topo