Programação – Instituto Federal do Paraná

Programação

Última atualização:

Copiado!


Atividades presenciais

Nos dias das atividades presenciais (30/11 e 01/12/2022), os participantes poderão realizar a exposição de banners, referentes à projetos e ações desenvolvidas que tenham vínculo à temática do Neabi. Podem ser expostos banners já produzidos ou confeccionar banner com a marca do evento (modelo).

Oficinas
Data: 30/11/2022 (Quarta-feira)


Oficina “Língua Kaingang, Politicas indígenas e indigenistas”

Horário: 14h às 15h30
Responsáveis: Sadi Korin Mendes e Juvenal Norigga Mendes
Resumo da atividade: Serão tratadas questões sobre a lingua kaingang, como é elaborada, como é compreendida para além da comunicação uma representação da resistência da cultura Kaingang, também trazer um pouco do que foram os processos indigenistas a partir de políticas públicas voltadas ao aos povos indígenas e em especial ao povo kaingang que mantem sua comunidade na região sudoeste do PR.
Observações: 20 vagas
Informações sobre os ministrantes: Sadi Korin Mendes, Juvenal Norigga Mendes são representantes da etnia Kaingang e professores do Colégio Estadual Indígena Segso Tanh Sa.


Oficina “Uso das ervas medicinais”

Horário: 14h às 15h30
Responsáveis: Eva Portela e Matilde Ribeiro Pinto
Resumo da atividade: Nesta oficina será oportunizado aos participante conhecerem mais sobre as ervas medicinais e suas potencialidades, além do ensinamento sobre a preparação de chás, pomadas, xaropes entre outros.
Observações: 20 vagas
Informações sobre os ministrantes: Eva portela é benzedeira da comunidade de Pirapó, na cidade de Irati/PR. Agricultura familiar de assentamentos da reforma agraria, é uma grande defensora das ervas medicinais e da Agroecologia e uma grande liderança dentro do movimento aprendizes da sabedoria.


Roda de conversa “Racismo e ensino de matemática: um panorama histórico”

Horário: 14h às 15h30
Responsável: Vanísio Luiz da Silva
Resumo da atividade: em breve
Observações: 30 vagas
Informações sobre o ministrante: Vanísio Luiz da Silva é licenciado e especialista em ensino de matemática, mestre e doutor em Educação – concentração em ciências e matemática – pela Universidade da São Paulo. Aposentado da Rede Municipal de Ensino de São Paulo, foi docente da UFMT-CUA, membro do Grupo e Estudos e Pesquisa em Etnomatemática-GEPEm/FEUSP e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemática Negra e Indígena-GEPENI/UFMT-CUA. Vanísio costuma se apresentar como mais um homem negro que elencou a Educação Escolar como forma de participar da sociedade brasileira. Durante estes anos na educação escolar acumulou experiências, conhecimentos e vivências – estudos e pesquisas – sobre as concepções, as práticas e o cotidiano de ensino da matemática na Educação Básica, bem como as particularidades que tangem a disciplina e as populações negras no Brasil.


Oficina “Relações étnico-raciais e a convivência na diversidade”

Horário: 14h às 17h30
Responsáveis: Diego Pereira dos Santos, Leonir Colombo e Alex Tomáz
Resumo da atividade: A oficina tem como objetivo geral refletir sobre as relações étnico-raciais e os desafios inerentes à problemática da convivência com a diversidade no ambiente escolar. De modo a alcançar esse objetivo a proposta é dividida em dois momentos distintos e complementares, com 1h30min cada.
Observações: 35 vagas
Informações sobre o ministrante: Licenciado em Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente é mestrando do Programa de Pós Graduação em Ensino de Física da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), na modalidade Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF). Diego é professor de Física do Instituto Federal do Paraná (IFPR), campus Foz do Iguaçu-PR e representante do Neabi Local.


Oficina “Artesanato Kaingang e a identidade dos povos indígenas”

Horário: 16h às 17h30
Responsáveis: Marilze Garigpri Mendes e Claudecir Viri
Resumo da atividade: No mesmo sentido em que a lingua kaingang se mostra como marca da identidade do povo kaingang os artesanatos também posuem grandes contribuiçoes na construção da identidade deste povo e a relação do povo kaingang com o mundo.
Observações: 20 vagas
Informações sobre os ministrantes: Indígenas Palmas: Marilze Garigpri Mendes e Claudecir Viri são representantes da etnia Kaingang e professores do Colégio Estadual Indígena Segso Tanh Sa.


Oficina “Panos que Falam – Memória através dos tecidos”

Horário: 16h às 17h30
Responsável: Neli Gomes da Rocha “Mumuki”
Resumo da atividade: Você sabe o que é uma capulana? Já viu alguma pessoa usando um turbante? Algum dia já foi para a praia com sua canga? Nos mais diferentes momentos temos ao nosso lado algum tecido que irá suprir alguma necessidade imediata ou tornar-se um adorno estético. Se interessou? Venha conferir nossa atividade formativa que visa dialogar com diferentes contextos sociais sob a inspiração da cultura africana e sua contribuição para a formação social aqui Brasil de norte a sul.
Material: Traga seu tecido preferido (medida acima de 1 metro)
Observações: 30 vagas
Informações sobre o ministrante: Mestra em Sociologia UFPR 2013/ Doutoranda em Educação UFPR/ Pesquisadora de Estética Negro-africana, Memória e Identidade Brasil-África) e Débora Caroline Pereira (Assistente Social de formação. Trancista e Afroempreendedora de profissão. Gestora do Deby Tranças – Espaço especializado em Tranças em Curitiba. Desde 2006 Trançando a Auto Estima à Ancestralidade).


Oficina “Práticas de benzimento, rezas e cantos”

Horário: 16h às 17h30
Responsáveis: Ana Maria dos Santos e Ana Marli Chvzaitiuk
Resumo da atividade: Nesta oficina será oportunizado aos participantes conhecerem mais sobre as práticas do ofício de benzer, as rezas, os cânticos, os santos de devoção e as práticas tradicionais de cura realizadas pelas benzedeiras do Movimento Aprendizes da Sabedoria.
Observações: 20 vagas
Informações sobre os ministrantes: Ana Maria dos Santos é benzedeira da Vila Facão na cidade de Rebouças/PR e Coordenadora Municipal do Movimento Aprendizes da Sabedoria. Ana também produz os cantos do movimento e é a principal articuladora do Parque Ambiental Monge João Maria, localizado na cidade de Rebouças. Ana Marli Chvzaitiuk é benzedeira da comunidade de Gonçalves Júnior em Irati/PR. Além de ser uma remedieira nata, realiza a produção de garrafadas medicinais, benzimentos, orações e simpatias.

Lançamento do Vídeo Institucional Neabi
Data: 30/11/2022 (Quarta-feira)

O vídeo institucional desenvolvido por estudantes do curso de Produção de Áudio e Vídeo do IFPR Campus Curitiba tem o objetivo de apresentar o que é o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi), o que ampara seu funcionamento, os projetos e ações realizadas. Também destaca sua importância para a Educação em Direitos Humanos (EDH), na promoção da reflexão sobre questões étnico-raciais e na perspectiva de uma Educação Antirracista. Projeto realizado no estágio obrigatório do Curso Técnico Subsequente de Produção de Áudio e Video IFPR Campus Curitiba em outubro de 2022 . Duração: 8:47

Direção: Gabriela Oyama Direção de Fotografia: Gabriela Oyama e Bianca Banfi Direção de Produção: Gabriel Martins Gabriela Oyama Supervisão Técnica: Fabiana Moro Van Abbema, Cássia Cristina Moretto da Silva, Patrícia Meyer Apresentadora: Day Paixão


Acesse o vídeo 

Visita técnica – Linha Preta
Data: 01/12/2022 (Quinta-feira)

Linha Preta é um roteiro turístico em Curitiba que tem como objetivo principal valorizar e dar visibilidade à contribuição negra na construção física e social da capital paranaense, bem como apresentar referências históricas e culturais da sua existência e colaboração para a construção da nossa capital.

A visita será guiada por representantes do Centro Cultural Humaita (Centro de Estudo e Pesquisa da Arte e Cultura Afro-brasileira).


Atividade remota (Apresentação de trabalhos)

No dia 07/12/2022 (quarta-feira), das 13h30 e 15h, ocorrerá a live de lançamento do Dossiê da Revista Difusão – Educação das Relações Étnico-Raciais, no Canal YouTube Proeppi. Será exibido também o documentário “Se liga no Crespo”, uma produção do professor Welk Daniel do Neabi Campus Jacarezinho. O vídeo retrata o orgulho do cabelo crespo entre jovens e estudantes que, em dado momento, se viram em uma transição representativa. No mundo atual, em que a informação é acessível a todos, não há espaço para ações racistas. A beleza negra é diversa e não deve ser medida conforme o ponto de vista da branquitude.

Nos dias 07 e 08/12/2022 (quarta e quinta-feira) ocorrerão as apresentações orais dos resumos expandidos do Dossiê da Revista Difusão (via Google Meet).

Cronograma de apresentações orais.

Os participantes selecionados na Chamada da Revista Difusão receberão por e-mail o link de acesso ao Google Meet.


Topo