Afastamento para Participar de Curso de Formação – Instituto Federal do Paraná
capa

Página do Servidor

Afastamento para Participar de Curso de Formação

Afastamento para Participar de Curso de Formação

DEFINIÇÃO

É o afastamento do servidor para participação em programa de formação decorrente de aprovação em concurso público para outro cargo da Administração Pública Federal.

REQUISITOS BÁSICOS

  1. Ser aprovado em concurso público para outro cargo da Administração Pública Federal; 2. Ser convocado para a etapa presencial do concurso.

 

DOCUMENTAÇÃO

  • Requerimento
  • Cópia do Edital do Concurso;
  • Cópia do comprovante da aprovação em concurso público para outro cargo da Administração Pública Federal;
  • Cópia da convocação para o curso de formação do concurso,

INFORMAÇÕES GERAIS

  1. Ao servidor em estágio probatório poderá ser concedido o afastamento para participar de curso de formação decorrente de aprovação em concurso para outro cargo na Administração Pública Federal. (Art. 20 § 4º, da Lei nº 8.112/90 Incluído pela Lei nº 9.527/97)
  2. O estágio probatório ficará suspenso durante a participação em curso de formação, e será retomado a partir do término do impedimento. (Art. 20 § 5º, da Lei nº 8.112/90 Incluído pela Lei nº 9.527/97)
  3. Os candidatos preliminarmente aprovados em concurso público para provimento de cargos na Administração Pública Federal, durante o programa de formação, farão jus, a título de auxílio financeiro, a cinqüenta por cento da remuneração da classe inicial do cargo a que estiver concorrendo. (Art. 14 da Lei nº 9.624/98)
  4. No caso de o candidato ser servidor da Administração Pública Federal, ser-lhe-á facultado optar pela percepção do vencimento e das vantagens de seu cargo efetivo. (Art. 14, § 1º da Lei nº 9.624/98)
  5. Caso o servidor opte pela remuneração do seu cargo efetivo, o pagamento dos auxílios transporte e alimentação serão interrompidos no período da duração do referido curso, sendo retomados, caso o servidor volte ao efetivo exercício das suas atribuições do cargo do qual se afastou. (Nota Técnica COGES/DENOP/SRH/MP nº 190/2009)
  6. Aprovado o candidato no programa de formação, o tempo destinado ao seu cumprimento será computado, para todos os efeitos, como de efetivo exercício no cargo público em que venha a ser investido, exceto para fins de estágio probatório, estabilidade, férias e promoção. (Art. 14, § 2º da Lei nº 9.624/98)

FUNDAMENTAÇÃO

  1. Artigo 20 §§ 4º e 5º, da Lei nº 8.112, de 11/12/90 (DOU 12/12/90), incluído pela Lei nº 9.527, de 10/12/97 (DOU 11/12/97).
  2. Artigo 14 da Lei nº 9.624, de 02/04/98 (DOU 08/04/98).
  3. Nota Técnica COGES/DENOP/SRH/MP nº 190/2009, de 31/08/2009.

Dúvidas e sugestões enviar a dnpp@ifpr.edu.br

Topo