Delegação brasileira conhece modelo alemão de educação profissional – Instituto Federal do Paraná

Notícias

Delegação brasileira conhece modelo alemão de educação profissional

Publicado em

Copiado!

Os reitores do Instituto Federal do Paraná (IFPR) e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), professor Alipio Leal e Carlos Eduardo Cantarelli, retornaram da Alemanha na última semana, onde estiveram em missão para o estabelecimento de contatos com as chamadas “Hochschules”, as Universidades de Ciências Aplicadas da Alemanha.

Para o Instituto, esse é o passo inicial para a abertura de oportunidades de cooperação científica e tecnológica, intercâmbio estudantil, mobilidade acadêmica de professores, pesquisadores, técnicos administrativos, desenvolvimento de projetos conjuntos e transferência de tecnologia. Para o assessor de Relações Internacionais do IFPR, Antonio Carlos Gondim, a visita teve resultados positivos. “Foi além das expectativas, principalmente pela geração de oportunidades para o próximo ano” destaca.

A Universidade tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) foi até o país para assinar a renovação de convênios que mantém desde 1991 com quatro instituições universitárias alemãs.

Visitas às “Hochschules”

Entre os dias 11 e 18 de outubro a comitiva fez visitas, contatos e reuniões com autoridades de quatro universidades, duas em Berlim (Beuth Hoschschule Für Technik Berlin e Hochschule Für Technik Und Wirtschaft Berlin), uma em Munique, a Universidade de Ciência Aplicada de Munique e a Hochscule de Mannheim. Além das universidades, a comitiva conheceu a Siemens e a BMW, ambas mantém acordo com a Universidade de Munique.

Durante a visita à Universidade de Mannheim, o reitor do IFPR, Alipio Leal, aproveitou o encontro para convidar o reitor da Hochschule, professor Dieter Leonhard, para conhecer Curitiba e o IF em março de 2011, ocasião em que será oficializado o acordo de cooperação bilateral para amparar os projetos de relações internacionais.

Antes da vinda do reitor, o Instituto irá receber, em novembro, uma delegação de seis representantes da Universidade de Munique, que virão ao Brasil para conhecer de perto a cidade e facilitar o processo de cooperação. Na ocasião, o IF irá receber o vice-reitor da Universidade de Munique, acompanhado do seu assessor de Relações Internacionais e de quatro professores das áreas de Matemática, Computação, Engenharia Mecânica e Engenharia Elétrica e Tecnologia de Materiais, essa última área de interesse é coordenada pelo professor Wolfram Heller, que visitou o IFPR no mês passado (leia sobre a visita aqui).

Ciência Aplicada

Assim como os Institutos Federais no Brasil, a Alemanha tem as suas “Universidades de Ciências Aplicadas”, conhecidas como Hochschules, que são instituições públicas voltadas ao ensino profissionalizante. As universidades aplicadas se caracterizam por sua estreita relação com a indústria, atuação prática e forte inserção no mercado de trabalho.

“Eles têm uma interação muito forte com a Indústria, os estudantes fazem estágio nas empresas e desenvolvem tecnologia de forma aplicada”, explica o assessor de Relações Internacionais do IFPR, Antonio Carlos Gondim. A partir de agora, a ideia é que os docentes elaborem projetos em conjunto com professores da Alemanha para verificar a disponibilidade de verbas ou mesmo ações para a captação de recursos. Segundo o reitor Alipio Leal, a Alemanha será a porta de entrada das relações internacionais do Instituto na Europa.

Além dos reitores do IFPR e da UTFPR, a comitiva foi formada pelo assessor de Relações Internacionais do IFPR, professor Antonio Carlos Gondim, pelo assessor Especial do Gabinete do Reitor, e ex-reitor da Universidade Tecnológica, professor Eden Januário Neto, e por representantes da UTFPR: o pró-reitor de Relações Empresariais e Comunitárias (Prorec), Paulo André de Camargo Beltrão, e a diretora de Relações Interinstitucionais, Maria Cristina de Souza. O reitor Denio Arantes, do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), integrou-se à missão em Berlin e participou de todas as visitas às universidades alemãs.

Topo