Professora do IFPR descobre duas espécies de moscas – Instituto Federal do Paraná

Notícias

Professora do IFPR descobre duas espécies de moscas

Publicado em

Copiado!

Duas novas espécies de moscas foram descobertas pela professora Adriana Couto Pereira Rocha, do IFPR Câmpus Palmas, em parceria com o doutorando Marcoandré Savaris, da Universidade Federal do Paraná. Ambos coordenam o projeto “Caracterização da comunidade de Diptera do Refúgio de Vida Silvestre dos Campos de Palmas – REVIS-CP”, local da descoberta.

O projeto, registrado na Coordenação de Pesquisa e Extensão (COPE) do Câmpus Palmas, começou em 2012, e as primeiras coletas foram feitas em setembro do mesmo ano. Os insetos das novas espécies que ainda não têm nomes científicos, mosca-das-frutas e mosca-das-flores, foram coletados em março e outubro de 2013. Entretanto, a confirmação de que são de fato novas espécies ocorreu apenas em abril deste ano.

“A mosca-das-frutas não tem importância econômica, ou seja, não é praga, mas traz consigo uma relevância ecológica”, ressaltou o pesquisador Marcoandré Savaris.

As duas novas espécies são de possível importância agrícola. Mas, para saber especificamente sobre suas funções ambientais, ainda serão necessários mais estudos que esclareçam seus ciclos de vida, sua biologia, entre outras características.

O próximo passo a ser tomado pelos pesquisadores será o de nomear e descrever adequadamente as novas espécies, o que é um trabalho minucioso e especializado. Eles ainda terão que voltar ao campo em março do ano que vem, a fim de respeitar a sazonalidade, para tentar coletar mais dos insetos, pois uma boa descrição exige pelo menos um macho e uma fêmea em boas condições. Isto feito, os resultados serão publicados em uma revista acadêmica da área.

“O estudo confirma os Campos Sulinos como um ambiente pouco explorado e com potencial para apresentar mais espécies endêmicas (o que é específico de uma determinada região). Isso é extremamente importante para justificar a existência de unidades de conservação na região, como a REVIS-CP”, afirma aq professora. Espera-se que mais espécies sejam confirmadas como novas e também haja uma análise mais abrangente do ambiente onde a mosca-das-flores e a mosca-das-frutas foram descobertas. O projeto deve terminar apenas em 2016.

Topo