Representantes de instituição francesa visitam IFPR – Instituto Federal do Paraná

Notícias

Representantes de instituição francesa visitam IFPR

Publicado em

Copiado!

Uma delegação do Conservatoire National des Arts et Métiers (CNAM) visitou o Instituto Federal do Paraná (IFPR) nesta terça-feira (24). Laurent Perez (diretor de relações europeias e internacionais) e Monica David (diretora de missões e projetos executivos internacionais) estiveram reunidos com o reitor do IFPR, Irineu Colombo, na Reitoria, em Curitiba. Foram apresentadas e discutidas as principais características das duas instituições, com vistas à formação de um acordo de cooperação técnica, a ser firmado em breve.

O diretor de parcerias internacionais do Centro Internacional de Inovação do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep/Sesi/Senai IEL) Carlos Sérgio Asinelli acompanhou a delegação francesa. O Senai mantém parceria de longa data com o CNAM no desenvolvimento de metodologias de ensino e recursos tecnológicos.

Com missão semelhante à do IFPR, o CNAM é uma instituição de ensino pública https://cnam.fr/ voltada à formação continuada; profissional; superior, pesquisa tecnológica aplicada e difusão da cultura científica e técnica.

Durante o encontro, foi discutida a possibilidade de as três instituições formarem um acordo tripartite, para o desenvolvimento de projetos em comum.

“Consideramos que podemos aprender muito com o CNAM, e também com o Senai, principalmente na experiência que eles têm no relacionamento entre escola e empresa”, destacou o professor Irineu Colombo.

De acordo com o assessor de relações internacionais do IFPR, Antonio Carlos Gondim, essa primeira visita serviu para aproximar as duas instituições: “Este foi um primeiro contato entre os gestores do IFPR e do CNAM, ocasião em que puderam ser apresentadas algumas propostas de cooperação, que devem ser amadurecidas nas próximas semanas”.

Criado na época da revolução francesa, com o passar do tempo, o CNAM foi se especializando na oferta de educação profissional aos trabalhadores, criando metodologia diferenciada e específica para isso. Todos os cerca de 500 professores da instituição, de alguma forma, têm ligação com empresas francesas, seja por meio de experiências de trabalhos anteriores, projetos desenvolvidos em parceria ou até mesmo vínculo empregatício paralelo às atividades docentes. Além disso, os estudos, pesquisas e o ensino são direcionados às realidades de cada localidade francesa onde o CNAM atua.

“Atualmente, estamos fomentando uma política de desenvolvimento internacional, tendo como prioridade os países de língua francesa, seguidos dos emergentes China e Brasil, com os quais já possuímos algumas parcerias”, explicou Laurent Perez. “Com o IFPR, por exemplo, poderemos desenvolver um método de formação de professores, para que as experiências francesa e brasileira sejam compartilhadas”, disse.

No Brasil, além do “Sistema S”, o CNAM já possui parcerias com a Universidade Federal do Paraná (UFPR); Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade de Pernambuco (UPE).

Topo