IFPR é pioneiro ao lançar curso para pescadores e aquicultores – Instituto Federal do Paraná

Notícias

IFPR é pioneiro ao lançar curso para pescadores e aquicultores

Publicado em

Copiado!

Foram lançados oficialmente na manhã desta terça-feira (14) os cursos técnicos em Pesca e Aquicultura oferecidos pelo Instituto Federal do Paraná (IFPR) em parceria com o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). O evento ocorreu no Campus Curitiba e foi transmitido ao vivo para os 50 telecentros Maré. “O lançamento desses cursos é uma verdadeira revolução. Estamos falando de um investimento de 4 milhões de reais”, afirmou o ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin.

Para o ministro, os cursos geralmente oferecidos para a categoria não são adequados. “Nós criamos um novo modelo pedagógico com aulas previstas no período de defeso, em que o pescador não pode trabalhar. Ou seja, estamos adaptando os cursos à realidade do pescador e com isso evitaremos a evasão”, comenta. Gregolin lembrou que a articulação para criação dos cursos foi intensificada na Conferência Estadual de Aquicultura e Pesca realizada no ano passado. “Estou satisfeito com o resultado de um esforço que foi coletivo. Hoje nós mostramos que os pescadores são uma categoria importante, que existe política pública voltada para eles”, destacou.

O coordenador Nacional da Política de Formação Humana na Área de Pesca Marinha, Continental, Aquicultura Familiar, Portos e Navegação  da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), professor Edmar Almeida de Moraes, enfatizou a expansão dos cursos ocorrida nos últimos três anos. “Saltamos de cinco para 72 cursos oferecidos pela Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica”, explica.

“Para dar sustentação ao projeto de formação humana criamos 28 Núcleos de Pesquisa Aplicada a Pesca e Aquicultura e investimos cerca de R$ 10 milhões”. Para Moraes, o formato do curso – em horários alternados e por ser na modalidade à distância – representa um grande avanço para diminuição do abismo social em que a categoria se encontra. “Uma vez um pescador me disse que não iria abandonar o trabalho com o barco para estudar porque seus filhos não podiam ‘comer letrinhas’. Os projetos geralmente não consideram as circunstâncias do pescador. Eles têm outra cultura, outra forma de trabalhar, outro tipo de relacionamento com a natureza e com o mar, ele vive daquilo”, contextualiza.

A proposta agora é expandir os cursos de formação. “Pretendemos atingir todos os Institutos Federais e passar dos atuais 50 telecentos para 200”, garante. Outra iniciativa é a oferta de pós-graduação. Atualmente é oferecido um curso presencial de pós graduação em Pesca, Aquicultura e Meio Ambiente no IF Fluminense. “O curso está sendo adaptado para ser ministrado também na modalidade a distância e oferecido em parceria com o IFPR”, explica Moraes.

O reitor do IFPR, professor Alipio Leal, falou sobre a importância dos cursos, do alcance social que eles terão e comentou sobre os investimentos maciços que vêm sendo feitos na educação profissional nos últimos anos. “Basta olhar para os números. A quantidade de unidades, de cursos, o número de professores e servidores aumentaram significativamente. Não só em quantidade, mas são ações comprometidas com a sociedade”, destacou.

O evento de lançamento oficial dos cursos técnicos foi divido em dois momentos:  na primeira parte as autoridades falaram sobre o que consideram importante no projeto para o desenvolvimento da pesca e aquicultura. No segundo momento os coordenadores explicaram como cada um dos cursos funcionará incentivando os pescadores a se inscreverem.  Também como forma de mobilização o evento contou com a presença de pescadores do litoral paranaense: “Os cursos são muito bem-vindos, era disso que precisávamos”, disse o pescador Jair Crisanto da Silva, de Pontal do Paraná.

A solenidade teve a presença do secretário executivo do ministério da Pesca e Aquicultura, Cleberson Carneiro Zavaski, do coordenador geral de planejamento e ordenamento da Aquicultura Continental em Estabelecimentos Rurais, Jackson Luiz da Cruz Pinelli, do chefe do departamento de planejamento e ordenamento da Pesca Artesanal,  João Dias Machado, do superintendente federal de Pesca e Aquicultura do Estado do Paraná, Jose Wigineski, do diretor geral de Educação a Distância do Instituto Federal do Paraná,  José Carlos Ciccarino, da  diretora de Ensino do Setor de Educação a Distância do Instituto, professora Mércia Freire Machado; do coordenador geral do Projeto,  professor Otávio Bezerra Sampaio, da Coordenadora do Curso Técnico em  Aquicultura do IFPR,  Adnilra Sandeski e do diretor do Campus Curitiba, Luiz Gonzaga Alves de Araújo.

Os cursos
Os cursos têm como objetivo principal elevar o nível de escolaridade e qualificar pescadores e aquicultores. A iniciativa do IFPR/EAD, em parceria com o Ministério da Pesca e Aquicultura, visa contribuir na construção de um modelo de desenvolvimento sustentável para o setor pesqueiro, buscando a geração de emprego e renda, a preservação ambiental e a melhoria da qualidade de vida das comunidades que têm na Pesca e na Aquicultura sua principal fonte de renda.

As teleaulas são ministradas nos estúdios do EAD/IFPR em Curitiba por um professor conferencista e são difundidas, via satélite, para 26 estados brasileiros. Um professor web auxilia o conferencista e, durante as aulas, responde a dúvidas e questionamentos dos alunos. Além disso, ainda existe a figura do tutor presencial, que faz a interação aluno-professor. Ele fica no pólo de apoio presencial (Telecentro Maré) durante todo o tempo da teleaula, dando suporte aos alunos e repassando as dúvidas para o professor web, além de oferecer ajuda e orientação extra-aula. Parte da carga horária do educando será destinada à prática profissional.

Os cursos têm duração de dois anos e serão ofertados dentro do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação Jovens e Adultos (Proeja). No final do curso, o estudante terá concluído o Ensino Médio e o Curso Técnico. Os certificados serão emitidos pelo Instituto Federal do Paraná. Neste primeiro módulo as aulas serão ministradas às segundas-feiras.

Serão oferecidas 1.000 vagas para o curso técnico em Pesca e 1.000 vagas para o curso técnico em Aquicultura. O aluno precisa ter no mínimo 18 anos, Ensino Fundamental completo, ser filho de pescador ou pescador atuante na área de Pesca e Aquicultura. O prazo para as inscrições começam nesta segunda-feira dia 14 e seguem até 20 de setembro. As aulas vão começar no dia 04 de outubro.

Mais informações pelos telefones 0800-643-0007 e (41) 3535-1643 ou pelo site www.ead.ifpr.edu.br.

Topo