Experiência internacional enriquece formação de estudantes e servidores – Instituto Federal do Paraná

Notícias

Experiência internacional enriquece formação de estudantes e servidores

Publicado em

Copiado!

No último ano, a comunidade interna do IFPR acompanhou um crescimento exponencial nas ações de formação profissional e educativas no exterior. De outubro de 2015 para cá, foram sete os servidores selecionados para cursos de qualificação em outros países. Entre os discentes, sete obtiveram êxito em chamadas públicas e programas que possibilitam a realização do sonho de conhecer diferentes culturas e também frequentar atividades acadêmicas nos colleges – instituições de ensino similares aos Institutos Federais – e universidades estrangeiras.

Mas não foram apenas os nossos servidores e estudantes que partiram dos campi do IFPR rumo ao exterior. A instituição também recebeu um estudante e um professor franceses.

Quer saber mais sobre todas essas ações? Então embarque conosco nesta viagem!

A França, cada vez mais próxima

O primeiro contato do IFPR com a França se deu em 2013, quando uma comitiva de servidores ligados às áreas da Enfermagem e da Farmácia realizaram uma missão no país. No mesmo ano, a instituição recebeu a primeira professora estrangeira, ligada ao Programa de Leitorado da Embaixada da França. A mestre em Francês como Língua Estrangeira, Céline Marie Lefort, desenvolveu atividades de ensino da língua com servidores e estudantes da Reitoria e do Campus Curitiba.

Atividades do curso de francês não se limitam à sala de aula

Em 2015, uma segunda comitiva, desta vez composta por dois docentes e cinco estudantes ligados à área de Agroecologia, participou de nova missão na França, a fim de participar do Fórum Franco-Brasileiro “Ciência e Sociedade”, promovido pela Fundação Fiocruz e o Ministério de Florestas, Águas e Desenvolvimento Sustentável da França, na cidade Arras.

Em outubro, a França ficará mais perto do IFPR!

A escolha dos participantes se deu por edital específico, tanto para professores quanto para discentes. No caso dos alunos, a seleção levou em conta a vulnerabilidade socioeconômica, dando preferência àqueles cuja principal fonte de renda familiar é agrícola.

Em setembro de 2016, o servidor Gilmar Hellmann também participou de uma formação na Escola Nacional de Administração (École Nationale D’Administration) da França. Hellmann foi selecionado por meio de chamada pública da instituição francesa. Por 15 dias, aperfeiçoou-se na temática Governança Territorial e o Desenvolvimento Local.

Anfitrião

Além de enviar servidores, o IFPR também recebeu um estudante e um professor franceses em 2016. O primeiro foi o estudante Florentin Delanoy, de 20 anos, estudante de curso superior de tecnologia na área de Gestão de Águas na Les Etabliéres, liceu voltado à educação na área da Agroecologia da cidade de La Roche Sur-yon. O estudante permaneceu por sete semanas no país e realizou um breve estágio em uma grande empresa brasileira, sediada no Paraná.

Em setembro, foi a vez de dar boas-vindas ao professor Thomas de Fornel, mestrando em Letras na França, que, por nove meses, vai desenvolver atividades de ensino de língua estrangeira no IFPR. A vinda do mestrando foi viabilizada por meio do Programa de Pesquisadores da Embaixada da França em 2016.

De acordo com a Coordenadora de Relações Internacionais do IFPR, professora Renata Ferreira, o professor vai ofertar cursos de francês básico para servidores da Reitoria e para a comunidade acadêmica de Palmas. “No campus, ele também vai desenvolver atividades que fomentem a discussão sobre o ensino de línguas estrangeiras”, afirma.

Desenvolvimento regional na/sem fronteira(s)

A Assessoria de Relações Internacionais (ARI) do Ministério da Educação realizou um encontro com o tema “Educação na Fronteira”, nos dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro, na cidade de Pelotas (RS), com a finalidade de discutir as possibilidades dos campi de Institutos Federais localizados nas regiões fronteiriças atuarem como agentes de transformação regional.

O evento reuniu representantes dos setores responsáveis pelas relações internacionais de Institutos Federais do sul do país, para discussão de políticas que fomentem ações educativas que visem o desenvolvimento regional. “O IFPR assumiu um compromisso com a fronteira, que é debater as possibilidades dos campi atuarem como agentes de integração regional”, explica Renata.

Nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2016, a Coordenadoria de Relações Internacionais realizou workshops nas três unidades do IFPR localizadas em região de fronteira – Foz do Iguaçu, Capanema e Barracão – com o objetivo de levantar as possibilidades desses campi realizarem essas ações. “A Coordenadoria de Relações Internacionais vem articulando, junto aos campi, possibilidades de propostas locais com cidades fronteiriças”, afirma a coordenadora. “Realizamos a discussão e o debate local deve fomentar políticas para a educação na fronteira. Eles decidem o que precisam e o que podem fazer”, esclarece.

Chamadas Internas do Conif? É conosco mesmo!

Outro destaque quando se trata das Relações Internacionais é a adesão e êxito, por parte dos servidores e estudantes do IFPR, às chamadas públicas promovidas pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

É o caso do estudante Caio Eduardo Macedo, do Curso de Tecnologia em Automação Industrial do Campus Telêmaco Borba, que foi selecionado na Chamada Pública do Programa de Bolsas de Estudo Canadá-Brasil para intercâmbio acadêmico de 16 meses no Canadá. O estudante vai frequentar curso de inglês, dois semestres de uma carreira de tecnologia e ainda participar de ações de estágio em um college canadense. “O estudante foi selecionado após análise de currículo e por apresentar a proficiência exigida pela chamada pública”, afirma Renata.

O estudante Luciano Goulart de Lima, do primeiro ano do Curso Técnico em Administração Integrado do Campus Avançado Barracão, foi selecionado para participar do Parlamento Juvenil do Mercosul. Ele foi selecionado pela Coordenadoria de Relações Internacionais e participará, em Brasília, das atividades do parlamento, que incluem um curso de formação e orientações sobre o papel de um parlamentar. O projeto é uma iniciativa da Assessoria de Relações Internacionais do Ministério da Educação.

Já, a professora Andreia Carniello, do Campus Londrina, foi selecionada para curso de formação de oito semanas no Reino Unido. A Chamada Pública do Programa Brasil-Reino Unido para Formação de Professores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica foi uma parceria do Conif com a associação de colleges britânicos. “A formação contempla ações que reforçam a relação com o setor produtivo e contribuem com a integração do ensino com a atividade profissional”, explica.

O mesmo objetivo tem o curso de formação de 12 semanas pelo qual a docente Márcia Valéria Paixão, do Campus Pinhais, passou, na Finlândia. A professora retornou em junho e foi a quinta servidora do quadro de docentes da instituição a passar pela experiência.

IFPR participa, pela terceira vez, do Programa Professores para o Futuro

Curso de inglês nos EUA

As professoras de inglês Luciana Jazinski, do Campus Pinhais, e Priscilla Giacomezzi, do Campus Colombo, foram selecionadas para um curso de inglês de oito semanas, realizado entre os meses de julho e agosto, em instituições de ensino consorciadas à Northern Virgínia Community College (Nova), nos Estados Unidos.

A capacitação de professores foi promovida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em parceria com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação e teve como objetivo fortalecer o domínio de habilidades linguísticas, conhecer práticas pedagógicas e promover o desenvolvimento de metodologias e materiais didáticos para o ensino da língua inglesa. No total, 76 vagas foram ofertadas aos professores da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica no segundo semestre de 2016.

Topo